Undime participa de encontro com gestores públicos e especialistas sobre agenda de equidade étnico-racial na educação

Com a presença da Undime, além de gestoras e gestores públicos federais, estaduais, especialistas, educadores, parlamentares e movimentos sociais, o Todos Pela Educação e a Mahin Consultoria Antirracista promorevam o encontro “Equidade étnico-racial na Educação Básica: desafios e oportunidades para 2023-2026”, nos dias 27 e 28 de junho, em Brasília.

No primeiro dia do evento, a Undime foi representada pelo presidente, Luiz Miguel Martins Garcia, Dirigente Municipal de Educação (DME) de Sud Mennucci/SP, no debate “ A implementação da Educação para as relações étnicos-raciais: a perspectiva do Poder Executivo.”

“É importante que nós, dirigentes municipais de educação, possamos trabalhar para orientar as redes sobre a questão étnico-racial dentro da escola, inclusive para que as crianças possam assumir a sua raça. Atualmente, a Undime apoiou o Instituto Alana e Geledés – Instituto da Mulher Negra, em uma pesquisa nacional sobre a implementação da Lei 10.639/03, em 1.187 Secretarias Municipais de Educação. O resultado foi que 71% delas não cumprem a lei do ensino e cultura afro-brasileira. Isso nos mostra que ainda temos um longo caminho a ser percorrido para ações que, de fato, promovam o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana. A Undime está atenta ao tema, e busca discutir com os gestores educacionais com intuito de melhorar a qualidade do trabalho desenvolvido”, disse Garcia.

A programação ainda teve momentos de formação, troca de experiências e ideias. Foram discutidos temas como o papel do Ministério da Educação e dos Estados na promoção de equidade; Educação Escolar Indígena e Quilombola, marcos legais e combate ao racismo.   

Durante o evento, a Undime marcou presença com representantes estaduais, os presidentes:  Anderson Passos dos Santos (Bahia),  José Marques Aurélio (Ceará); Vilmar Lugão de Britto  (Espírito Santo),  Ednamar Aparecida da Silva (Minas Gerais), Michael Lopes (Paraíba);  Andreika Asseker (Pernambuco); Alex Cleidir Tardetti (Santa Catarina); Josevanda Franco (Sergipe),  Karla Cristina Palha (Amapá), Joaria Vieira (Rio Grande do Norte), Osório Luís Figueiredo (Rio de Janeiro);  e  também os vice-presidentes: Mara Elizete Rabelo (Rio Grande do Sul), Miquéias Augusto  (Mato Grosso do Sul) e  Luíza Brasileiro (Tocantins).

Entre os representantes do Governo Federal e do Congresso Nacional que participaram dos painéis, estavam: Zara Figueiredo, secretária de Educação Continuada, Alfabetização de Jovens e Adultos, Diversidade e Inclusão (Secadi) e Kátia Schweickardt, secretária de Educação Básica (SEB), ambas do Ministério da Educação (MEC); a deputada federal, Dandara Castro (PT-MG); e o deputado federal, Rafael Brito (MDB-AL).

Também participaram das mesas expositivas, gestores estaduais e municipais, educadores, ativistas e especialistas como: Beatriz Benedito, analista de Políticas Públicas do Instituto Alana; Cida Bento, doutora em psicologia  e conselheira do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades;  Giovanni Harvey, diretor Executivo do Fundo Baobá; Ana Paula Cruz, gestora escolar no município de Conceição da Feira/BA e especialista em Educação Escolar Quilombola; Alva Rosa Tukano, líder indígena e presidente do Fórum de Educação Escolar e Saúde Indígena do Amazonas; Petronilha Beatriz Gonçalves, professora emérita e pesquisadora em Erer da Universidade Federal de São Carlos.

Fonte/Foto: Undime

Deixe um comentário

Facebook
YouTube
Instagram