DMEs dos Territórios de Jacobina e Irecê não vêm possibilidade de aulas presenciais

Na tarde desta segunda-feira (19), os Dirigentes Municipais de Educação dos Territórios de Identidade que foram surpreendidos com a publicação do Decreto Estadual que possibilita o retorno das aulas semipresenciais em 18 municípios baianos.

Alessandra Cruz, de Jacobina, destacou que o desconforto é grande neste momento. “Não temos vacinação, estrutura para atender a educação presencial e por isso precisamos nos fortalecer de forma coletiva e por isso penso que este momento é importante para todos nós, pois não temos nenhuma condição de atender nosso estudantes de forma presencial”.

Para Audacy Batista Requião, Dirigente Municipal de Miguel Calmon, ressalta que “a situação dos municípios não possibilitam esse retorno das aulas, mesmo que de forma parcial. Não existem profissionais de saúde vacinados e o número de casos ativos da Covid-19 é muito grande, por isso precisamos nos manter unidos enquanto Dirigentes”.

O Professor Renê Silva, indica que o diálogo não pode deixar de acontecer sob nenhum égide. “Estamos vivenciando um momento em que qualquer decisão tomada pelas redes de ensino, impactam no município como um todo, por isso a necessidade de realizar a escuta e o dialogo com todos os segmentos que representam a educação e a sociedade”.

A DME de Mairi, Samia Najar, lembra que “neste momento onde os protocolos de saúde precisam ser atendidos, perpassam pela reforma das escolas e muitas delas ainda nem começaram, por isso as decisões precisam partir dos municípios e não de fora pra dentro”, explica Samia, acrescentando que “as cidades que ainda não criaram os seus comitês de combate e enfrentamento a Covid-19, precisam criar e discutir sobre suas realizadas”.

O governo da Bahia liberou, em decreto publicado deste domingo (18), a realização de aulas semipresenciais em 19 municípios baianos. Elas são permitidas desde que a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) fique, por ao menos cinco dias seguidos, igual ou menor que 75%. 

O decreto vale tanto para escolas da rede pública, quanto particulares. Os estabelecimentos têm que cumprir a ocupação máxima de 50% da capacidade de cada sala de aula e os protocolos sanitários contra o coronavírus. Até o dia 26 de abril, as aulas são permitidas apenas de maneira remota nas outras cidades.

Confira em quais municípios as aulas poderiam voltar de modo semipresencial:

  1. Caém; 
  2. Caldeirão Grande;
  3. Capim Grosso;
  4. Jacobina;
  5. Mairi;
  6. Miguel Calmon;
  7. Mirangaba; 
  8. Morro do Chapéu;
  9. Ourolândia;
  10. Piritiba;
  11. Quixabeira; 
  12. São José do Jacuípe;
  13. Saúde; 
  14. Serrolândia;
  15. Tapiramutá;
  16. Umburanas; 
  17. Várzea da Roça; 
  18. Várzea do Poço; 
  19. Várzea Nova.

Deixe um comentário

Facebook
YouTube
Instagram