Coordenadora Undime do Mais Alfabetização realiza Roda de Conversão sobre o Programa

Na terça-feira (29), foi realizada uma Roda de Conversa, para tratar dos Encaminhamentos Finais do Programa Mais Alfabetização no exercício de 2020, com os profissionais que atuam na coordenação do programa nos municípios baianos, sob a mediação da coordenadora e professora Robélia Aragão, a qual estava representando a UNDIME.

A Roda de Conversa foi transmitida através do uso do Google Meet e ocorrera em dois momentos, pois os agrupamentos dos participantes foram feitos de acordo com os Grupos de WhatsApp mantidos neste percurso para eventuais informações.

“Tivemos a presença da Equipe da COPE/PDDE/SEC-BA, a qual foi e é bastante colaboradora para o desenvolvimento das ações dos programas em execução nos municípios”, destaca a Professora Robélia.

“Os encaminhamentos finais contemplaram momento de acolhimento e agradecimento, orientações para uso dos recursos do PMALFA e organização documental atrelado à defesa das políticas públicas e da transparência”, acrescenta.

Ela lembra ainda que “as orientações foram socializadas nos respectivos grupos. Os participantes tiveram a oportunidade de falar, sob a condução da responsável pelo o encontro, sobre a relevância do programa durante estes últimos anos, de externar as fortalezas e os sentimentos construídos no percurso”.

Fica como reflexão o uso posterior das estratégias apresentadas pelo programa em diversas dimensões, dentre essas, a gestão e o pedagógico, com a finalidade de enriquecer o processo de implantação dos Referenciais Curriculares Municipais. Também, a certeza de que devemos fortalecer a política de alfabetização em nosso estado da Bahia.

Por fim, a manifestação de agradecimento aos Dirigentes Municipais de Educação, aos Coordenadores locais, aos Gestores Escolares, aos Coordenadores Pedagógicos das escolas, aos Professores Alfabetizadores e aos Assistentes de Alfabetização.

Segundo a professora Robélia Aragão, “Os momentos foram intensos, de muito trabalho colaborativo, disciplina e solidariedade para olhar, sensivelmente, aprendizagem dos estudantes dos 1º e 2º anos. Isso contemplando a análise reflexiva de informações/resultados, planejamento, supervisão e implementação de planos de ações com possibilidades de redirecionamentos das intervenções pedagógicas. Uma riqueza de encontros de pessoas e conhecimentos contextualizados.” E, ainda enfatiza, como diria Leoni “Gratidão é memória do coração”, e “essa memória enaltece, especialmente, a UNDIME-BA e a todos os parceiros, as instituições federias, estaduais e municipais e os colaboradores que abraçaram a proposta”.

Deixe uma resposta

Facebook
YouTube
Instagram