Uesb lança programa de formação para professores de educação do campo

Nos últimos 20 anos, o Brasil extinguiu mais de 100 mil escolas no campo, e a Bahia foi o segundo estado do Nordeste que mais fechou. Como forma de auxiliar nessa realidade, a Uesb, por meio do Programa Formacampo, promoverá um curso de formação para professores de sete territórios de identidade da Bahia, abrangendo Médio Sudoeste, Sudoeste Baiano, Velho Chico, Vale do Jequiriçá, Sertão Produtivo, Litoral Sul e Médio Rio de Contas.

A iniciativa firma parceria com um total de 113 municípios baianos e se propõe auxiliar na formação de professores mais sensíveis e especializados para atuarem com a educação de crianças e adolescentes da zona rural. Coordenado pela professora Arlete Santos, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Uesb, o Programa é fruto da atuação do Grupo de Estudos e Pesquisas em Movimentos Sociais, Diversidade e Educação do Campo e da Cidade (Gepemdecc).

Por falta de políticas públicas de incentivo e manutenção, diversas escolas foram fechadas em comunidades rurais. Com isso, estudantes da zona rural tiveram a necessidade de sair do seu núcleo para frequentar escolas da cidade. De acordo com a coordenadora, essas medidas geraram prejuízos no processo de ensino-aprendizado de crianças e adolescentes da zona rural.

Além de dificultar a adaptação dos estudantes ao novo modelo escolar, a migração implicou em dificuldades relacionadas ao meio de transporte adequado para o deslocamento, ao tempo despendido e no cerceamento ao direito da sua identidade cultural e reconhecimento dos seus costumes. “A Educação Básica centralizada na educação urbana desconsidera o direito dos povos do campo e da própria Constituição. O ensino deve levar em consideração a cultura local, identidade do sujeito e o modo de produção e trabalho a quem a educação se destina”, considera Santos.

Fonte | Foto: UESB

Deixe uma resposta

Facebook
YouTube
Instagram