“Mais de 11 milhões de brasileiros não sabem ler nem escrever” Jackson Reis

Nesta terça-feira (30), o professor Jackson Reis ampliou a discussão e o entendimento sobre a importância da abordagem da EPJAI nos Referenciais Curriculares dos Municípios da Bahia.

“Pensar currículo é pensar num contexto de sujeitos que são em sua grande maioria idosos e não pode ser pensado da mesma forma como pensamos para outras etapas e modalidades da Educação Básica”, destaca.

Ele acrescenta que os “adultos e idosos também são sujeitos de direitos e nossas políticas publicas não podem nega o acesso, e mais que isso, não assegurar as suas permanências com fazeres que atendam às necessidades destas pessoas e por isso, precisamos conceber e promover currículos no plural e não no singular”.

O que os sujeitos precisariam considerar em relação à EPJAI na reformulação do currículo? José Jackson Reis dos Santos, Professor Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com estágio doutoral na Universidade de Lisboa, Portugal. Professor do Programa de Pós-graduação em Ensino (PPGEn/Uesb – Mestrado Acadêmico).

Desenvolve trabalhos de pesquisa, ensino e extensão na área de Educação de Pessoas Jovens, Adultas e Idosas. É autor de vários livros, entre eles: “Educação de pessoas jovens, adultas e idosas: interfaces entre o direito à educação, educação popular, currículo(s) e saberes experienciais. Coordena o Grupo Colabor(Ação): Estudos e Pesquisas em Educação de Pessoas Jovens, Adultas e Idosas DFCH/Uesb/CNPq). Membro da Rede Internacional de Pesquisa Colaborativa (BRASILUEJA/ MPEJA/Uneb).

Deixe uma resposta

Facebook
YouTube
Instagram