Home / Notícia / Representatividade
UNDIME NA DEFESA DA POLíTICA DE INOVAçãO EDUCAçãO CONECTADA NA CâMARA DOS DEPUTADOS
Publicação: 09/10/2018

Representantes da Undime participam na manhã desta terça-feira (9) da reunião que debate a instituição do Programa Educação Conectada como política de Inovação Educação Conectada no Brasil. Promovido pelo Ministério da Educação (MEC), o encontro foi pautado pelo debate sobre como instituições podem atuar em prol da sanção do Projeto de Lei nº 9.165/17, previsto para ser votado ainda hoje no Plenário da Câmara dos Deputados, conforme a Ordem do Dia.

Convidados pelo Ministério, os Presidentes das Seccionais da Undime Ceará e Bahia, José Marques Aurélio e Williams Panfile Brandão, porta-vozes da Undime no Comitê Consultivo da Educação Conectada, expuseram as experiências regionais na execução do Programa ao lado da Coordenadora-Geral de Tecnologias e Inovação da Educação Básica do MEC, Marlucia Amaral, e do Coordenador-Geral de Apoio às Redes de Educação Básica e Infraestrutura Educacional do MEC, Alexsander Moreira. Também estiveram presentes coordenadores e professores que atuam diretamente na iniciativa nos estados do Rio de Janeiro e de Alagoas. Em conjunto, eles fizeram a leitura do documento e definiram estratégias para angariar apoio ao projeto no Poder Legislativo.

A partir do encontro, a expectativa é que o grupo atue na articulação junto a parlamentares do Congresso Nacional para que o PL seja aprovado com a máxima urgência. A sanção deverá garantir uma linha de recursos exclusiva para promover a universalização do acesso à internet em alta velocidade em escolas brasileiras e fomentar a utilização das tecnologias digitais na educação básica. “Com a Lei, podemos criar a sustentabilidade do Programa ao garantir financiamento direto e dotação orçamentária própria para a efetivação da iniciativa em todo o país”, apontou Alexander Moreira. 

O texto do PL prevê a inserção da tecnologia como ferramenta pedagógica de uso cotidiano nas escolas públicas de educação básica. A redação cita ainda que se aprovada, a Política deverá ser executada em articulação com outros programas, apoiados técnica ou financeiramente pelo Governo Federal destinados à inovação e à tecnologia na educação. Atualmente, o Programa está sendo empregado em 16 mil escolas do país, selecionadas com base na capacidade de adotar internet de alta qualidade em sala de aula, devendo ser expandida para 22 mil escolas até o fim de 2018.

A Política de Inovação Educação Conectada vem de encontro à estratégia 7.15do Plano Nacional de Educação (PNE), que preconiza a “universalização”, até o quinto ano de vigência do Plano, o acesso à rede mundial de computadores em banda larga de alta velocidade e triplicar, até o final da década, a relação computador/aluno nas escolas da rede pública de educação básica, promovendo a utilização pedagógica das tecnologias da informação e da comunicação.

Fonte/Foto: UNDIME