Home / Notícia / Movmento Municipalista
UNDIME PARTICIPA DO 6º ENCONTRO DE PREFEITOS, COM O TEMA “MUNICíPIOS INTELIGENTES”
Publicação: 16/03/2018

Aconteceu nesta sexta-feira (16) em Salvador a abertura da 6ª edição do Encontro de Prefeitos, no Senai Cimatec organizado pela UPB (União dos prefeiitos da Bahia) e a Undime esteve presente e representada pelo Dirigente Municipal de Educação de Jequié e Diretor de Articulação da seccional Bahia, Roberto Gondin.

O evento propôs debater assuntos relacionados às prefeituras baianas como a queda da arrecadação e os desafios das gestões públicas também aborda o tema “municípios inteligentes”, com soluções em tecnologia para facilitar o atendimento das prefeituras ao cidadão. A solenidade de abertura contou com a presença do governador Rui Costa, de parlamentares baianos e prefeitos de mais de 320 municípios do estado.

Convidado para debater o tema, o coordenador geral de infraestrutura de Tecnologia da Informação da Secretaria de Ciência e Tecnologia da Informação (SECTI), Grinaldo Oliveira falou que “explorando as potencialidades desse novo cenário de conectividade, a região e todo o estado conseguirão ampliar significativamente a perspectiva de desenvolvimento econômico e social, pois, de acordo com pesquisa realizada pela Ericsson, a cada mil conexões são gerados 80 empregos”, esclareceu.

De acordo com o presidente da UPB, o prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro, a união dos prefeitos no momento de crise tem fortalecido a luta municipalista na busca de conquistas importantes. O gestor citou a decisão do Tribunal de Contas dos Municípios em retirar os programas federais do cálculo do índice de pessoal. “Se outros estados já praticam é importante que a Bahia também tenha esse entendimento”.

Para o Professor Doutor, Roberto Gondin, para que as melhoras substanciais aconteçam na educação, é preciso acontecer investimentos. "A reunião nos serviu para que possamos avaliar como está a educação nos municípios, pois é difícil cumprir as metas da educação com as quedas constantes de repasse e a união precisa participar mais dessa distribuição financeira".

"A lei de responsabildade fiscal já tem 18 anos e precisa ser revista e os prefeitos e secretários de educação não podem ser responsabilizados pelo déficit dos repasses da união, pois existem casos, em que não existem gastos exacerbados, mas que não conseguem atender os índices legislacionais", acrescenta Gondin.

Durante o encontro, os participantes tem acesso ao atendimentos estratégicos dos ministérios e órgãos do estado, com a disponibilidade de informações sobre os programas e ações de governo disponíveis para os municípios. Uma Equipe da Rede PCR está de plantão.