Home / Notícia / Fora da Escola Não Pode
UNDIME PARTICIPA EM SALVADOR DE AUDIêNCIA COM MP EM SALVADOR SOBRE BULLYING
Publicação: 30/04/2019

Nesta terça-feira (30) a UNDME Seccional Bahia, representada pelo Vice-Presidente, Raimundo Pereira, Dirigente Municipal de Educação de Vera Cruz, participa de um encontro n Auditório Afonso Garcia Tinoco, na Sede do Ministério público da Bahia, na 5ª Avenida, número 750 do CAB - Centro Administrativo em Salvador, às 9 horas de um momento para discutir sobre o bullyng.

Os trabalhos serão conduzidos pela Procuradora Geral de Justiça do estado da Bahia, Ediene Santos Lousado e faz parte de uma ação coletiva do Programa Fora da Escola Não Pode.

A dinâmica do bullying é marcada pela presença de alguns atores: autor, alvo e testemunhas. O autor é quem ataca a criança, supostamente mais fraca, com o objetivo de causar dor, constrangimento ou humilhação e o alvo é quem sofre as agressões.

O fenômeno é caracterizado por ações agressivas, repetitivas e imotivadas, contra uma pessoa específica. Em regra, o alvo se vê como incapaz de se defender da agressão.

A recém-aprovada Lei nº 13.185/16, além de trazer uma definição legal para o bullying, ali denominado “intimidação sistemática”, cria uma política nacional de combate à prática e assegura atendimento psicológico aos alvos, impondo a escolas, clubes e agremiações o dever de “assegurar medidas de conscientização, prevenção, diagnóstico e combate à violência e à intimidação sistemática”.

Assim, a nova legislação esclarece que escolas, clubes e agremiações recreativas têm responsabilidade sobre o bullying que ocorra sob seus auspícios. Além de obrigá-los a atuar de forma a evitar a ocorrência das agressões e identificá-las ativamente.

Tal previsão é importante, pois, como dito, as crianças por vezes escondem o bullying dos adultos, que, a seu turno e não raramente, erram ao tratá-lo como algo normal. Com a nova lei, fica claro que as escolas, agremiações e clubes não mais podem ignorar as agressões.

Da mesma forma, devem promover a conscientização das crianças sobre o bullying, inclusive para orientá-las sobre como agir diante das agressões.